14 agosto 2015

EXERCÍCIOS DE ALTA INTENSIDADE para pacientes com problemas cardíacos

Pesquisa brasileira contradiz  recomendação de atividade moderada para pacientes cardiopatas

De autoria de três Profissionais de Educação Física, um artigo brasileiro contradiz as recomendações médicas atuais. De acordo com o estudo Effects of High Intensity Interval versus Moderate Continuous Training on Markers of Ventilatory and Cardiac Efficiency in Coronary Heart Disease Patients, fazer treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) pode melhorar a eficiência cardiovascular e respiratória em pacientes com problemas cardíacos. Os resultados foram apresentados no mês de abril/2015, durante a XI Jornada SOCERJ de Educação Física em Cardiologia, realizada no Rio de Janeiro. E, posteriormente, no mês de maio, no Annual Meeting, World Congress on Exercise is Medicine, and World Congress on the Basic Science of Exercise Fatigue of the American College of Sports Medicine em San Diego,California.

O estudo analisou o efeito de diferentes estratégias de treinamento aeróbio supervisionado sobre a capacidade aeróbia de pacientes com doença arterial coro-nariana (DAC). Participaram da coleta de dados 71 pacientes com DAC, divididos em três grupos: aqueles que realizaram exercício moderado durante 16 semanas, um grupo que não realizou exercício físico e um terceiro, que praticou atividade física de alta intensidade durante o mesmo período. A coleta de dados foi feita de janeiro de 2010 a janeiro de 2012, em pacientes de serviço de reabilitação cardiovascular e metabólica.
Resultados: Os voluntários que realizaram o treino de alta intensidade passaram a ter uma eficiência cardiorres-piratória melhor do que o grupo que praticou atividade moderada. Por sua vez, os participantes que não fizeram nenhuma atividade física sofreram uma queda no rendimento cardíaco e respiratório.

"Concluímos que o treinamento aeróbio intervalado pode ser mais eficaz que o treinamento contínuo para melhorar a capacidade aeróbia de pacientes com DAC. Portanto, a inclusão de treinamento aeróbio intervalado deveria ser considerada no contexto de programas de reabilitação cardiovascular", indica Gustavo Cardozo [CREF 020150-G/RJ], coordenador do estudo.
Também participaram da pesquisa, recentemente publicada no The Scientific World Journal, os Profissionais Paulo Farinatti [CREF 000521-G/RJ] e Ricardo Oliveira [CREF 005807-G/RJ]. Já as instituições envolvidas foram o Laboratório de Atividade Física e Promoção da Saúde (LABSAU) do Instituto de Educação Física e Desportos (IEFD) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), o Serviço de Reabilitação Cardiovascular e Metabólica do Total Care (RJ) - AMIL e o Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Ciências da Atividade Física da Universidade Salgado de Oliveira.

fonte http://www.confef.org.br/extra/revistaef/show.asp?id=4293

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pergunte à Personal