26 agosto 2012

Barriga de cerveja?


QUESTÃO ENVIADA:

Sou um homem saudável, ativo e jovem. Mas, já bebo cerveja desde os tempos da faculdade e ainda gosto de beber quando saio à noite com os amigos (mais aos finais de semana). Tenho percebido que de  uns dois anos pra cá,  fui ganhando um pouco de barriga. Eu quero saber se a cerveja é mesmo a responsável pela “barriga de cerveja”?
Resposta:
“Barriga de cerveja”, “pneu” ou outro nome qualquer, a gordura que se acumula na zona abdominal constitui um risco para a saúde. A obesidade abdominal aumenta o risco de sofrer ataques cardíacos, AVC’s, de desenvolver a diabetes, de sofrer de disfunção erétil, entre outros problemas de saúde.
Para os homens, o risco começa a existir a partir do momento que o tamanho da cintura atinge os 94 cm. Acima dos 101 cm coloca-os na zona de perigo. Já nas mulheres, o risco começa a  existir a partir dos 80 cm de cintura, sendo que a partir dos 89 cm passam a estar na zona de perigo.
Apesar do nome, a cerveja não é especificamente responsável pela “barriga de cerveja”. Em 2003, um estudo que avaliou a relação entre o consumo de cerveja e o aumento do índice de massa corporal e da cintura em mais de 2000 adultos não encontrou uma relação direta entre estas variáveis [*1].
De quem é a culpa ?
Se a cerveja é inocente, de quem é a culpa? Das calorias, é claro. Se consumirmos diariamente mais calorias do que aquelas que conseguimos queimar através das rotinas do dia-a-dia e do exercício físico, o excesso vai se armazenar nas células adiposas (ou adipócitos). Infelizmente para os homens, as células adiposas abdominais têm tendência a aumentar de tamanho mais rapidamente do que as das mulheres.
Apesar da cerveja não ser o problema específico, ela pode, de fato, contribuir para a gordura abdominal. Em números redondos, uma cerveja de 330 ml contém aproximadamente 150 calorias. Uma cerveja light contém aproximadamente 110 calorias.
Por isso, se sair à noite quase todos os fins de semana e beber 2 ou 3 cervejas, faz as contas e vê por que razão (entre outras, possivelmente) não consegue ter um “six-pack”  como o modelo da foto à direita.
REFERÊNCIAS:
[*1] – Bobak, M. & Skodova, Z. & Marmot, M., Beer and obesity: a cross-sectional study, European Journal of Clinical Nutrition 57, 1250–1253, 2003 (LINK)
fonte: www.lydiaguerreiro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pergunte à Personal